segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A MÃE DO CAIO


banda mirim, proibida para maiores de 5 anos

Sábado, fim de tarde, festinha de 5 anos de uma amiguinha nossa. Fui sozinha com o Caio, Dani iria mais tarde. Cheguei carregando mil coisas: o Caio, minha bolsa, a bolsa dele, o presente... Passei o Caio para o colo do pai da aniversariante, que nos recebia e a mais outros dois casais. Caio quase pulou do colo dele para o chão, assim que viu a aniversariante. Nem olhou para trás, já saiu andando pela festa, olhando todos e se sentindo em casa. Todo metido.

Não tinham muitas crianças da idade dele, mas ele nem tchuns, acostumado que está a conviver com crianças de várias idades no
Cantinho da Criança Feliz. Em pouco tempo já estava enturmadíssimo, não apenas com as crianças, mas também com os adultos, que formaram uma espécie de "babá coletiva" do Caio durante a festa: alimentavam-no com milho, pão de queijo e pipoca; vigiavam quando ele passava correndo atrás das crianças mais velhas, para que ele não caísse; me procuravam quando acontecia algum incidente e eu não estava por perto; ficavam no chão brincando com ele... Eu bem que gostei, pude curtir a festa sossegada, conversar com os amigos... mas sempre ficando na retaguarda, de tempos em tempos espreitando as brincadeiras, para ver se estava tudo bem, oferecer água e comida, e fazer um chameguinho. E ele? 'Nem te ligo, mãe'!

Apenas em um momento de maior cansaço, depois de um tombinho, ele veio todo chamegoso querendo mamar: mamou 1 minuto e já saiu correndo do meu colo atrás da trupe de molecada que passava feito um furacão dentro da casa. Era muito engraçado observar: primeiro passavam os mais velhos, em seguida, coladinha a eles - e imitando tudo o que faziam - a turminha intermediária, e, meia hora depois, o Caio, todo faceiro. Um barato.


Ele virou uma atração na festa. Toda hora alguém vinha me perguntar: 'Ele é seu filho? Que bonitinho, tão sossegado, tão simpático!' Eu apenas sorria, pensando nas manhas e chatices que ele tinha me aprontado nos últimos dias, por conta do nascimento dos molares, e respondia: 'é, mas ele tem das suas, também'... Dali há pouco, mais alguém: 'ah, você é a mãe dele, nossa como ele é tranquilo!' E eu pensava, 'hã-hã, é porque não é seu, né'. Rá. Brincadeirinha. (Normalmente, eu iria fazer o maior coro nos elogios, que eu sou mega-ultra-coruja-assumida. Acontece que eu estava um bagaço, justamente porque a semana com ele tinha sido bem difícil... então, poupei os convidados da minha corujice...)

E assim foi, até nove da noite, quando praticamente "ejetamos" o Caio da festa, pois nós, pais, é que estávamos um prego. Na hora de ir embora, mais alguém comentou, 'ah, você é a mãe, que gracinha seu filho'! Foi quando me dei conta de que ali eu não era a Thaís, amiga dos donos da casa, arquiteta e urbanista, profissional respeitável (!) tentando voltar à ativa... Ali ninguém queria saber com quem eu era casada, ou de quem eu era filha... Ali eu era simplesmente "a mãe do Caio". E isso me rendeu boas risadas no dia seguinte.

15 comentários - clique aqui para comentar:

Dani Garbellini disse...

Engraçado que é mais ou menos assim mesmo que a gente se sente, a mãe deles, depois todo o resto. Não é, não?
Bjs

Roberta disse...

Eu já sinto isso há algum tempo, também. E acho que quando a Luísa for pra escola vai ser ainda pior. Vou perder totalmente a minha identidade.... bjs

Cynthia Santos disse...

ahahahah
eu já me apresento assim: "Sou a mãe do Arthur!" eheheheh

Renata disse...

Engraçado isso, nunca tinha pensado nessa inversão!! Bom pra eu já ir me preparando...rs!
beijos

Cath disse...

Muito engraçado como desaparecemos né?! Tô sentindo isso demais, ninguém quer nem olhar para mim... me tornei a mãe do Matheus e a mamadeira ambulante...

Sheila disse...

Hahahaha...ai, ai é assim mesmo...
Outro dia fui cantar em um sarau nessas casas chiquérrimas do Morumbi e como eu não ia ganhar cache mesmo, (é uma casa que eu canto desde os primordios da cantoria)pedi para levar a baixinha, que eu poderia ir desde que ela fosse junto pois ainda estava com 5 meses e so mamava .Ai eu fui lá, me estribuchei de cantar (HAHAHAHAHAHA) toda linda, maquiada, de salto, e quando termina e vamos ao jantar(eu esfomeada com a pequena no colo e ela bem alimentada fazendo um social, toda sorridente) eu ouço o seguinte: "Nossa, parabéns! Mas sabe que voce cantou muito bem e blá blá blá mas a sua menina é um encanto!É, parabéns pela filha...!" olhei para o meu marido que estava logo atras, sorri ,e "é..." a gente quer é que eles sejam o sucesso mesmo...

Adorei o recadinho la no blog!
Deixa eu perguntar, vc ja foi no cinematerna?Tava querendo ir mas to com medo dessa gripe x cinema, sera que to ficando doida?

beijos ao Caio!

Mãe do Pitoco disse...

Adorei! Eles são um encanto mesmo... mal sabem os que não convivem com eles... hahahaha Aqui em casa tem dia que Pitos tb está atacado. Beijos nos dois

Bia Mello disse...

Ola Thaís,
Encontrei seu Blog e fiquei interessada, acredito que temos varias coisas em comum: Tambem sou arquiteta e estou gravida do meu primeiro filho!
Vou adiciona-la, assim podemos trocar experiencias e alegrias! Parabens pelos textos!
Abracos,
Bia Mello

Paloma, a mãe disse...

Ahaha, sei bem como é isso. Na pracinha, eu sempre fui a "mãe da Ciça". A maioria não sabia meu nome. Por isso, internalizei o negócio e já me autodenomino assim.
Beijo, mãe do Caio!

Danyelle Santos disse...

hahahaha!!!!
A gente meio que perde a identidade mesmo, né?
Mas eu adoooooro ser chamada de "a mãe do Caio"!
O seu Caio é um fofo!!!

Tem selinho pra vc lá no blog!

Paloma disse...

HAHAHAHAH!!! Super normal. Pra muita gente, eu deixei de ser Paloma faz tempo. Sou simplesmente "a mãe da Isa". bjo
Paloma e Isa

BLOG DA GRÁVIDA disse...

Mas também...com um gatinho desses fazendo o maior sucesso na "rave"...você queria o quê? hehehehe Já estou me preparando pra isso...por que desde que a barriga "apareceu", percebi que ninguém mais pergunta nada sobre mim... Só sobre o bebê. Minha mãe liga todo dia e pergunta: "Oi, meu neto tá bem?" Dá vontade de responder "Acho que sim, não tenho visão de raio X" hehehehehe Beijos

Letícia Volponi disse...

Eu sou mãe da Laura na escola, na natação e, ultimamente, até na minha familia. Chego na casa da minha mãe, ela pega a laura sai pela casa e nem me diz oi. "oi, mãe!" "ah, oi, filha! Vamos ver o au au, Laurinha?" e eu? Fico com cara de pastel e agradeço os minutinhos de liberdade... Na escola, encosto o carro e as crianças dizem aos seus pais: aquela ali é a mãe da Laura bebê.

Mãe do Pitoco disse...

respondi por email a sua pergunta. bjos

Anônimo disse...

OI TAIS AQUI É A FERNANDA MÃE DE MARIA FLOR TIA DO NANDE E IRMA DA JU NOSSA ACHO QUE MUDEI A ORDEM NATURAL ... BELEZA! SEMPRE TENTO COMENTAR NO SEU BLOG MAS NUNCA CONSIGO ESPERO QUE DESSA VEZ EU TENHA ACERTADO. ENFIM... ADORO ORO ORO ESSE SEU DIARIO, CHORO, RIU, ME IDENTIFICO PRA CARAMBA E APRENDO UM MONTÃO, O CAIO É UMA FIGURINHA LINDA E ESPERO QUE VC CONHEÇA A MINHA FLOR QUE COMO VOCê EU SOU UMA CORUJONA QUE ABRI MÃO DE TUDO POR ELA BOM É ISSO ENTÃO ME SENTI HJ IGUALZINHA NUMA FESTINHA QUE FUI ELA TODA PULANDO D COLO EM COLO SORRINDO E CANTANDO PARABENS SEM ESTRANHAR NADA NEM NINGUEM, EU AMO TOTAL E COMPLETAMENTE SUPER BEIJO FE