segunda-feira, 5 de outubro de 2009

DA SÉRIE: DILEMAS DE MÃE



Logo mais, daqui há algumas semanas, terei um congresso em Minas Gerais. Vou ficar 3 dias e 3 noites fora. E estou sofrendo com isso há pelo menos uns 6 meses: como eu vou ficar tanto tempo longe do Caio??? E como ele vai ficar tanto tempo longe de mim (e do mamá, que é o que ele mais sente falta, humpf!)???

Ir ou não ir? Fazer um bate-e-volta insano só para apresentar o trabalho? Levar a vovó e o filhote a tiracolo? Dúvidas e mais dúvidas.

Metade de mim acha que já estamos prontos para mais esse passo, que o papai e a vovó são excelentes cuidadores e vão dar super conta do recado, que 3 dias e 3 noites sem mamar no peito não vão ocasionar um desmame radical (o qual iria contra todos os meus princípios)...

A outra metade acha que ainda é cedo para essa separação tão longa, que ele vai sentir muita falta do mamá (e da mamãe também, vai!), que vai ser um período sofrido para ele e para mim, que se der é melhor evitar...

E aí, parpites????

17 comentários - clique aqui para comentar:

Pérola disse...

Ai Flá, que difícil...
Eu não fico longe não...
Não aguento! Mas eu sou exagerada demais...
Avalia com calma, com tranquilidade.
Ir para sofrer tb não dá né...
Tem uma pediatra maravilhosa que sempre diz "mamãe feliz, bebê feliz"...
Segue teu coração!
Beijão!!!

Flavia disse...

Tha,
pela experiencia que eu tive, 3 dias (e 3 noites) não ocasionam o desmame radical. O Caio vai ficar bem, com a avó e o papai. E você tambem!
Saudades, a gente sente sim. Durante o dia, nem tanto, a cabeça envolvida em outras coisas, o dia passa que a gente nem sente. mas de noite a saudade aperta.
Nessa hora é importante que a decisão tenha sido tomada com consciencia.
é importante pra você? Existe a opção de não ir, sem maiores problemas? Vale a pena levar o pequeno e a vovó para uma viagem tao corrida?

Não é uma decisão facil, mas só você pode pesar os dois lados da balança.

Boa sorte, querida! beijos

Bobby disse...

Thais, eu acabei de voltar e te digo: O CAIO VAI FICAR BEM. Pra te falar a verdade foi até mais fácil do que eu pensava. Vai ver que é porque eu tinha desenhado um monstro na minha cabeça e, quando a coisa rolou mesmo, não foi tão dificil quanto minha fértil imaginação tinha elaborado. Juro. Ele ficou super bem cuidado, brincou, comeu bem e mamou no peito normalmente assim que eu voltei.
Querida, essa é - claro - uma decisão pessoal. Mas quando escrevi sobre isso la no blog as opiniões de quem ja havia ido foram fundamentais pro meu bem estar e sanidade, por isso te falo com a maior sinceridade: eles sobrevivem e nós também!
Beijo, qualquer coisa passa lá! Boa sorte!

Bobby disse...

ah, desculpa, o comentario acima foi da Roberta, do piscardeolhos!
Deu pane aqui e não estou conseguindo entrar com meu blogger ID!
Beijo!

Paloma disse...

A primeira vez que ficamos longe é bem difícil. Mas, olha, vai dar tudo certo. Eu fico longe da Isa muito mais do que gostaria, por conta da separação. É claro que dói o peito, a saudade é enorme. Mas tem seu lado bom. Caio vai aprender que ele tem a vida dele com e sem você. E esse é um aprendizadão pra nós mães também. Tente aproveitar este tempo livre pra fazer coisas que você não faz quando está em casa. Quando a Isa não está em casa, eu leio, vou ao cinema, bato papo com as amigas. Quando ela volta, eu estou cheia de energia, revigorada, feliz. Então, meu conselho é: viaja tranquila. Vai ser bom pra vocês dois. Eu aposto. bjo
Paloma e Isa

Avassaladora disse...

Thais, essa dúvida é cruel... eu ainda não tive que fazer isso com o Gui, porque não viajo à trabalho, mas acho que ele ficaria bem.

Roberta disse...

Olha, parpite a gente sempre tem, né... rsrs... Eu não viajei enquanto a Luísa ainda amamentava, portanto não posso dizer em relação à amamentação, mas em relação à viagem eu digo que tudo vai ficar bem, sim, pode ficar tranquila. Com pai e avó, então, não tenha dúvidas!! Quem sofre mais nessas horas é a mãe. Eu viajei no início do ano (a passeio, o que me dava mais culpa ainda) e deixei a Luísa em casa com a minha mãe. Sofri muito na semana antes da viagem, mas depois que saí eu me acalmei e foi melhor do que eu pensava. Correu tudo bem, comigo e com ela. E olha que o pai estava indo junto comigo. Foi importante pra nós, casal.
Se você precisa ir, vá tranquila. Vai ter saudades, mas passa rápido.
Boa sorte! Beijos

Cynthia Santos disse...

olha, eu voltei a trabalhar quando o Arthur estava com 4 meses e meio.Ele ficou muito melhor que eu, acredite! Só não posso opinar quanto ao desmame, porque ele me desmamou com seis meses, e foi tudo muito tranquilo. Mas com relação a ficar longe, vá tranquila, ainda mais com as "babás" que vão cuidar dele... e acredite, vai te fazer um bem danado, a gente de vez em quando precisa dessa distância, eu chamo de distância saudável, faz bem pra todos os envolvidos...ehehehe
Beijos!

piscardeolhos disse...

Acabei de escrever o post com o balanço da viagem :)

Dany disse...

Thaís, se duvidar, o Caio vai ficar melhor que vc! rs
A gente que é muito apegada mesmo...
Acho que já te contei a história de Buenos Aires...
Bom, eu ia p/ lá e estava meio com medo de contar pro meu Caio. Falei sobre isso com ele cheia de cuidado p/ ele não chorar e tal. Sabe qual foi a reação?? "Oba, vou ficar 5 dias sem escovar meus dentes!"
Bom, é isso...
Nós é que somos dependentes deles! rs
Vai dar tudo certo!

Daniella PSF disse...

existe vida depois da maternidade... hahahahaha
vai lá no blog: piscar de olhos, tem um post incrível sobre isso.
boa sorte!

Daniella PSF disse...

campanha FOLLOW-ME: se você lê o meu blog, gosta e ainda não é seguidor, que tal começar? Ficaremos felizes....

Dani disse...

Thais querida, acho que nem deveria estar comentando esse post. Ainda nào tô preparada para ficar longe da Nina. Já fico o dia todo sem ela, então...ainda não consigo! Mas tô buscando forças e inspiração para isso. Dá uma olhada no post que a Roberta do Piscar de Olhos fez hoje. Gostei. Me deu mais confiança e talvez possa te ajudar um pouquinho! E, repito o que eu falei para ela: vá e só pense em coisas boas, principalmente no abração que você vai ganhar do Caio quando voltar! Beijo! Dani

Dani Garbellini disse...

Thaís, precisei viajar a trabalho recentemente. No meu caso, era uma semana inteira, sete dias e seis noites. Se Arthur sobreviveria sem mim? É claro! Porém, tanto pela amamentação quanto pelo nosso vínculo, tenho certeza que não seria o momento para essa separação. Levei minha mãe e Arthur comigo.

É o mesmo raciocínio de trabalhar full time ou ficar em casa com o filho. Eles podem ficar bem sem nós, mas o que você acha que é melhor? Tenho certeza que tem quem acredite que é melhor ele ficar com outras pessoas enquanto a mãe trabalha, ganhar "independência". Nem sei se existe certo e errado, mas existe opções, pontos de visto e decisões.

Portanto, veja suas opções: ir sozinha, não ir, ir com ele? O melhor momento para um pode não ser para o outro. Só você poderá ouvir seu coração e saber se vocês estão prontos para essa experiência.

Beijos!

Anônimo disse...

eu concordo com os comentários anteriores... tudo acaba ficando bem, principalmente se a decisão for de coração - acho que vc já até escreveu algo a respeito... No entanto, na minha realidade daqui, eu levo a Olga pra todos os lados. Viajo muito e levo ela com babá ou com vovó, vovô... quem puder ir pra dar uma força e sempre foi td tranquilo também. Acho que as duas opções são boas e viáveis. Beijo pra vc, Caio e Dani.
Camila

Renata disse...

É difícil palpitar em uma questão tão pessoal, mas acho que vc tem que pensar que ele estará super bem cuidado, com pessoas que o amam demais e cercado de muito amor e carinho. Claro que não é o amor de mãe, mas é muito amor também e a criança sente isso, certeza!
Faça o que seu coraçao mandar, querida. E se decidir dessa forma, não tem como dar errado.
beijos, Re

Katarina Pesci disse...

Oi Thaís,
eu sou mais grudenta, e estaria sofrendo muito também. Eita dilema... Se eu tivesse alguém que pudesse me acompanhar numa boa, e que isso não fosse trazer "dor de cabeça", eu levaria meu filhote junto!
Já se decidiu? Boa sorte..
Vida de mãe e profissional não é nada fácil... hehe
beijos