sexta-feira, 16 de outubro de 2009

DESEJO, NECESSIDADE, VONTADE



as fotos já são um pouco antigas, mas a bagunça continua...

Mamãe dando comidinha pro filhote, que está num divertido (e sujismundo) aprendizado de comer sozinho com a colher e o garfo (imposto aos pais por ele mesmo, afe!). Comeu, comeu, comeu e, antes de acabar o prato, começou a virar a cara e falar: "não té maich" (não quero mais). Mamãe insistiu mais um pouco, viu que não ia virar nada, e começou a comer o restinho, já que ainda não tinha jantado e estava faminta. Na segunda colherada, o filhote aponta para a geladeira e fala: "ovo". A mãe: "ovo, filho?" E ele: "ovo". "É filho, o ovo tá na geladeira". "Té ovo". A mãe não acredita: "você quer ovo, filho?" Ele: "té".

Ela duvida, pergunta mais umas trezentas vezes, e resolve testar: pega um ovo na geladeira, pega a frigideira, vai narrando tudo para o filhote, em tom quase ameaçador: "a mamãe vai fazer ovinho pra você, quero ver você comer, hein!" (oh culpa!, mas foi mais rápido que seu eu-mãe-educativamente-correta...). Ah, no que ela abriu a geladeira, o filhote viu tomatinhos-cereja e pediu, apontando: "té, té". Mamãe pica dois tomatinhos e coloca na bandejinha dele. Enquanto ele se lambuza com os tomatinhos, ela faz um ovinho mexido delícia, que fica super amarelo em razão do ovo ser caipira. Coloca no prato, mostra ao filhote: os olhinhos dele saltam ao ver o mexidão amarelo, ele quer por a mão, mas está quente. Mais um tomatinho-cereja enquanto o ovinho esfria. Mexidinho no ponto, o restinho da comida que a mãe quase traçou vai junto nas colheradas, e o pequeno come uma pratada e tanto. E mamãe medita: mais do que necessidades, os pequenos tem desejos e vontades próprias; quando compreendemos e aprendemos a ouvi-los, não necessariamente através de palavras, tudo fica beeeem mais simples e divertido.


11 comentários - clique aqui para comentar:

Cynthia Santos disse...

Que barato!!!
É uma delícia acompanhar o desenvolvimento deles, né?
Eu fico de boba, só assistindo...eheheheh

Lia disse...

Adorei. Certíssimo, né? Já pensou se a gente tivesse de comer todo dia só o que nos servem, sem poder escolher?

Paloma, a mãe disse...

Taí, escutar o filho nem sempre é fácil como parece, mas deve ser praticado como exercício diário!

Renata disse...

Caramba, não to acreditando. Desse tamanho??? Como pode?? Não imaginei que essas manifestações de vontade (principalmente alimentares) começassem tão cedo.
Que garoto esperto. Adorei!!!

beijinhos, Re

Dany disse...

E achamos que temos que decidir tudo por eles... Estamos enganadas!

JULIANA disse...

Ah, que legal!
Heitor anda um comilão, mas por enquanto só o que eu ofereço coitado!
As vezes sai umas gororobas!

Letícia Volponi disse...

Menina, vc me lembrou muito a Laura. Ela faz coisas parecidíssimas e quando não consigo entender o que ela está tentando dizer, ela desce da cadeira, vai até a geladeira ou o armário, abre e aponta....

Lau Confessions disse...

Que fofo o Caio
Parabéns flor
Passando pra desejar que tenhas dias lindos
Bjussssssssssss

Flavia disse...

ai, adorei!
e posso confessar? Me ví no teu lugar perguntando, mas realmente vc quer? hahhaha.
O João ultimamente tbm anda bem comilão (suspiro aliviado), só que ele devinitivamente não gosta de ovo, nem de tomate, Rá!
Andei fazendo uns cursos bacanas sobre alimentação infantil ou como usar a alimentação como aliado na cura a gripes, resfriados e a familia das "ites".
Quero postar sobre isso algum dia desses e tambem queria seguir postando alguma receitinha... talvez essa semana próxima.

beijos e bom domingo

Luíza Diener disse...

ooonnn! que fofura o caio!

beijinhos :)**

BLOG DA GRÁVIDA disse...

Incrível! Você deve ter ficado mega orgulhosa do seu pequeno que já sabe escolher o que quer, tomar decisões. Achei lindo!!