quinta-feira, 10 de novembro de 2011

VOCÊ SOFRE POR "EXCESSO DE COMPETÊNCIA"?

Domingo à noite, num breve minuto de descanso, resolvi ligar a tv (tenho pânico de tv aos domingos, ainda mais que só tenho tv aberta, afe!). No meio de toda a porcaria, dei sorte de achar, na Cultura, a exibição do Café Filosófico com o Fabrício Carpinejar, cujo tema era incrível: "Reinvenção dos vínculos". Peguei o bonde andando, mas o programa dialogou em cheio com o que venho pensando e sentindo sobre relações familiares, conjugais, filhos, trabalho e cia. 

Eu já conhecia o Carpinejar pelos textos que ele publica na Revista Crescer, depois pelo blog dele. E curti muito sua abordagem do tema, pelo pouco que pude assistir. (Hoje vi que, quem quiser assistir na íntegra - eu quero! - dá pra ver pelo blog dele: http://carpinejar.blogspot.com/2011/11/cafe-filosofico.html)

Bom, além da dica, queria registrar um ponto em que ele tocou que ficou martelando na minha cabeça, que tem tudo a ver com o que postei (e vocês comentaram) aqui. Não é uma transcrição literal, mas um rascunho que fiz durante a própria exibição do programa, pra não esquecer. E achei que valia compartilhar com vocês, pra ver o que pensam do assunto:

"As mulheres sofrem por excesso de competência. (...) eu tenho pena delas. Elas não conseguem lidar com a incompetência. (...) Isso é uma coisa que nós poderíamos ensinar a elas."
anotação livre da fala de fabrício carpinejar, dom 06/11, no café filosófico.

Quem concorda, quem discorda? Vamos debater?

10 comentários - clique aqui para comentar:

Alana Contarato Gomes Ambrosino. disse...

aaah, sofremos sim! Nao sabemos lidar com isso, nao sabemos fracassar, queremos fazer TUDO, e tudo ao mesmo tempo, enfim, é uma loooonga história... até fiz um post sobre isso há algum tempo: http://mentirasqueasmaescontam.blogspot.com/2010/07/modernas-que-nada-pos-modernas.html

beijos!

Re disse...

Concordooooo...eu me cobro demais pra ser boa mae, boa esposa, boa profissional, bao dona de casa e o que isso esta me dando em troca? Estou virando uma boa mal humorada!! Serio..estou me sentindo sobrecarregada, pesada..preciso aprender a ser mediana, mediana esta otimo, todos saem ganhando.

Genis disse...

É... eu sofro... marido diz e eu concordo!

Bjs, Genis ♥
http://mamaegenis.blogspot.com/
http://www.blogdagenis.blogspot.com/

Mariana - viciados em colo disse...

eu sofria, tais, sofria muito, mas fiz um esforço e abandonei uma série de expectativas e estou muito melhor, estou meio homem neste sentido... sendo muito condescendente com minhas falhas... é claro que teve terapia envolvida e que tenho umas recaídas, mas estou bem melhor: aceito ser mediana nas coisas e sei que serei feliz do mesmo jeito e que tudo vai dar certo do mesmo jeito.

do mesmo jeito se eu tirasse 10.

beijoca

Fer e Flor disse...

então neh ...
relaxa e goza pra nós kkkkk
bom feriadão

ana isabel disse...

Eu concordo. Procuro achar as razões para isso, acho que são varias...

Para você ter uma ideia, outro dia, eu estava me cobrando pelo Zezé ter um defeito genético. Até que alguém disse que esse defeito vinha do meu marido. Mas sabe de uma coisa, o defeito é do Zezé e ele que vai ter de conviver com isso. Eu tenho alguns defeitos, ele terá outros e nem por isso somo pessoas tão ruins assim...

A sociedade fala tanto sobre a importância da mãe, que começamos a achar que se formos perfeitas como mãe, criaremos um filho perfeito.

Dani Garbellini disse...

Tentarei assistir também.

Se sofro por excesso de competência? Claro que não! Fico felicíssima com minha competência!
Se sofro é por excesso de cobrança, mas sabe, melhorei tanto! Mesma receita da Mari - terapia. E muita, muita força de vontade.

Beijo!

Fer e Flor disse...

oi menina e meninos... tudo bem no feriadão ? viu, você ja falou sobre birras em publico? queria ver a opnião das pessoas sobre isso ... beijos e queijos

Anônimo disse...

Flor, apesar de não estar mais com o blog continuo passando sempre por aqui pra espiar :) bjks!

Micheliny

Marusia disse...

Oi, Thais!
Acho que, nesse caso, "competência" tem dupla acepção: atribuição e habilidade. As mães hoje têm excesso de atribuições. Existe uma pressão externa para cumprir esses papéis, e muitas vezes os adotamos até sem sentir. Em relação ao segundo significado, penso que nunca houve tanta informação acerca de "como devemos criar os filhos". Por mais que tenhamos essa competência, o tempo todo ficamos nos questionando se fizemos a escolha certa. Cansa. O ideal é levar as coisas com mais desprendimento, e, paradoxalmente, nem sempre isso é fácil kkkk
Beijos
Marusia