quinta-feira, 30 de junho de 2011

APRENDENDO A SER IRMÃO MAIS VELHO

Caio querido,

você agora é um irmão mais velho e começa a se dar conta disso. Você já vinha curtindo a barriga da mamãe durante toda a gravidez, até super-irmão você foi, mas só agora você está percebendo que definitivamente somos quatro, que seu irmão veio mesmo pra ficar. E está tentando entender o que é ser um "irmão mais velho": você quer saber se cresceu, se já é adulto, o que significa ser "mais velho", e por aí afora...


Eu também sou a irmã mais velha, filho, das suas duas tias queridas, mas só agora, vendo seu processo, é que compreendi que tranformar-se em irmão mais velho exige todo um aprendizado, leva tempo, tem momentos muito alegres, mas pode também ser um tanto doloridinho... E está sendo tão bonito acompanhar os seus primeiros passos nesse caminho, filho!

A gente sempre ouve as histórias de ciúmes entre irmãos, de birras, de regressões do filho mais velho e fica parecendo que é tudo um grande trauma, uma grande dificuldade, um grande problema. Realmente isso tudo acontece, mais cedo ou mais tarde, mas, como tudo na vida, não é o único lado da moeda. Tem também a descoberta de novos sentimentos, o crescimento, a ampliação de vínculos e horizontes. Penso que tudo isso, bem dosado, mediado por nós, seus pais, tendem a te fazer uma pessoa ainda melhor, mais capaz de dividir, de ouvir, de ter paciência, de conquistar o seu espaço... veremos no futuro.


Mas o que quero te contar é que, até agora, você está indo muito bem nesse seu aprendizado. Você sacou, logo de cara, que teria que reencontrar seu lugar na nossa nova configuração familiar, já que agora você não era mais o único queridinho da mamãe, do papai, dos avós, das titias, dos amigos. E, por enquanto, ao invés de tentar reconquistar esse lugar apenas no grito, na birra, na manha, você tem ido também por outros caminhos.

Pra começar, você ficou todo engraçadinho. Cheio de histórias, uma mais maluca e divertida que a outra, você conquista a atenção de todos, que riem muito com suas gracinhas. Você está ainda mais conversadeiro, e sua companhia ficou ainda mais gostosa! Ponto pra você.

Além disso, você mergulhou fundo no mundo da imaginação, acho que como uma forma de elaborar todas as novidades que estavam acontecendo na sua vida. (É certo que as brincadeiras, por vezes, ficaram um pouco mais agressivas, cheias de espadas e malvados morrendo... mas tanto melhor que seja nelas que você venha canalizando essa agressividade natural, isso é saudável e pode te ajudar a lidar com ela!). Mil personagens, aventuras mirabolantes, os brinquedos ganharam nova vida e todos nós entramos na dança, cada dia como um personagem diferente. Todos os cômodos da casa foram tomados por suas brincadeiras, e o mundo do faz de conta virou seu delicioso refúgio. Até o Nuno você transformou em mil e um personagens, sempre no diminutivo, uma graça. Foi realmente impressionante o salto que você deu, em um período de tempo tão curto, em termos de brincadeiras, de invenções, de imaginação.


Mas o salto mais impressionante - e que eu vi como uma maneira muito saudável que você encontrou de chamar a atenção - foi na linguagem. Quinze dias depois que o Nuno nasceu, nessas suas conversações e invenções cada vez mais elaboradas, você incorporou um novo aprendizado. Talvez por estímulo da vovó e do vovô, o fato é que você aprendeu a falar praticamente todos os fonemas em que ainda trocava ou engolia letras! Taio virou Caio, telo virou quelo, dato virou gato, tês virou tlês, depois tllrês e até um trrrês já está saindo, memo está virando mesmo... e por aí afora! Você ainda se confunde um pouco, corinthians ainda é tolintias, de vez em quando sai um adola ou agola no lugar de agora, mas a virada que o aprendizado exige está feita, é só uma questão de tempo. Mamãe ficou tão, mas tão orgulhosa!! E ao mesmo tempo com uma pontinha de tristeza (mãe é bicho doido, filho!) por sentir que meu menininho está crescendo tão rápido... mas outra hora a gente fala mais disso.
 
Claro que você também está fazendo birras, mas, por enquanto, nada ainda muito maior do que as que você já fazia desde que se aproximou do "portal" dos dois anos, e que fez durante a gravidez também. Em geral, elas acontecem quando você está cansado, com sono ou com fome, e são intensificadas - claro! - pelo fato de que a atenção que há pouco tempo atrás seria dedicada exclusivamente a você, agora tem de ser dividida com Nuno... Além disso, em alguns momentos (especialmente em eventos sociais ou no meio de muitas pessoas)  você tem ficado mais acanhado, sem querer papo com ninguém, mas só por algum tempo, até ganhar confiança, até sentir que seu espaço está garantido, independente do Nuno. As despedidas também ficaram mais difíceis, mas você nunca gostou muito delas...


Mas com o Nuno, de modo geral, tem prevalecido seu carinho, sua vontade de vê-lo, de pegá-lo, de beijá-lo, de apertá-lo (por vezes até demais, temos sempre que ficar de olho!), de conversar com ele, de estar junto dele. Vira  e mexe você fala: "eu amo meu irmao", "nuninho, eu te adoro", "eu tô tao feliz de ter um irmao!",  "eu fiquei muito feliz que o nuno nasceu", e fica eufórico quando pode pegá-lo no colo.

Até agora, uma única vez você soltou um: "Mamãe, eu não quero mais ter neném!" Nuno devia ter uns quinze dias, eu estava com você no banheiro e não entendi direito... Perguntei: "Você não quer mais SER neném?" E você: "Eu não quero mais TER neném!" Puxei conversa: "Ah, é? E porque filho?" A resposta estava na ponta da língua: "ah, mamãe, ele não sabe falar, não sabe comer, não sabe fazer nada..." Continuei a conversa dizendo que neném era assim mesmo, que você também já tinha sido assim, e que logo ele iria começar a aprender muitas coisas, que a gente ia ter que ensinar... Desde então, você ficou todo animado, querendo ver em cada gesto do Nuno um novo aprendizado: se ele faz algum som, você se empolga - "ele tá falando comigo"; se ele mexe o bracinho e  toca em você ou em algum brinquedo, ele está te fazendo carinho (ou te batendo, rá!) ou tentando pegar o brinquedo; se você põe algo na mão dele e ele agarra, você se anima dizendo que ele está aprendendo a segurar... E quando ele começou a sorrir, então! Cada movimento de boca do Nuno é um sorriso para você... e quem sabe não é, mesmo?


Nós temos tentado garantir seu espaço, nossos momentos só com você, nossos tempos de brincadeiras, de histórias, de passeios, mas, inevitavelmente, está tudo bem diferente de como era há até um mês e meio atrás, e você sabe disso, você sente isso, nós sentimos também. E se isso pode ser sentido como uma perda, outros ganhos já se deram e muitos ainda estão por vir, pode ter certeza. Vai ter ciúme, vai ter briga, ô se vai. Mas ter um irmão é bom demais, você vai ver. Só que isso  já é assunto pra outra carta.

A gente te ama muito, filho, e estamos muito felizes em ver sua transformação em "irmão mais velho". Aos poucos eu vou contando pra você desse processo, pra que você possa saber como foi, quando ficar mais velho (porque eu mesma não lembro nadinha de como foi ganhar uma e depois outra irmã, e a vovó também já esqueceu de quase tudo...), pois acho que esse será um momento decisivo na constituição de sua personalidade. Palpite de mãe.


Beijo grande,

mamãe

16 comentários - clique aqui para comentar:

Pati Alves disse...

Q lindo!

Anna disse...

Que post lindo, Thais!

beijos

Susan disse...

Ahhhh... que coisa mais linda Thaís!

Adorei de coração.

Beijo grande á todos e á esse irmão mais velho lindo!

Dani disse...

Lindo demais Thá! Ai, temos tanto o que conversar...vi tudo isso acontecer aqui e me emocionei lendo seu relato, principalmente porque eu também sou a irmã mais velha.
Realmente é lindo vê-los crescer assim. Às vezes, acho, que o tempo poderia ser mais generoso comigo, demorando um pouco mais para passar, só pra eu aproveitar as minhas meninas (cada uma na sua fase) ainda mais!
Beijo, querida.
Gostei da sua sugestão. Pode deixar que eu vou preparar um post sobre a vida em quatro!
Nuno é fofo, heim! Puxou ao Caio!
(que grandão que ele tá!(
Dani
Dani

Sarah disse...

Que texto maravilhoso! Ter irmãos é tudo de bom e isso com certeza será decisivo para a construção da personalidade do Caio. Eu sou a mais nova e vejo o quanto minhas irmãs são importantes, um espelho e um apoio constante pra mim.
As fotos também estão demais. Parabéns familinha!
bjos
Sarah
http://maedobento.blogspot.com/

Familia Marcondes disse...

Estou contigo nesse barco. Estou vivendo a mesma fase que você. Meu mais velho tem 4 anos, o caçula 2, e tenho vivido toda essa novidade na vida do Miguel (o mais velho. ELe tem sido um irmão muito legal, super preocupado e carinhoso, mas ao contrário do seu, regrediu na questão da fala. A chupeta já estava virando obsoleta,até q o irmão nasceu. O Miguel tem falado bastante também, mas ao mesmo tempo percebemos que ele anda ansioso, colocando tudo na mão, e tentando chamar a atenção fazendo coisas que desaprovamos.
Não é fácil para nós administrarmos a atenção com os dois, mas é muito mais difícil para nossos pequenos irmãos mais velhos.

Bj
Fernanda
mybabiesrock.blogspot.com

Paloma, a mãe disse...

Lindo texto e um aprendizado sem fim. Tem altos e baixos, como todas as relações, mas é muito gratificante ver a relação entre irmãos no nosso próprio núcleo familiar, né?
Beijos

Rapha da Alice disse...

Que lindo!
Daqui uns anos quero dar um irmão ou irmã para a minha Alice.
Adoro ler as experiências, é tudo tão rico!

Beijos,

Rapha, mãe da Alice

http://maternarconsciente.blogspot.com/

BLOG DA BIA disse...

Muito emocionante!!!

Bia Mello disse...

Lindo, lindo, lindo texto! Que amor e que delicadeza! Beijos querida!

Luciana Marques disse...

Olá!!
Que lindo,que emocionante!

Antes de ler o post li teu perfil.. rsrs tbém sou canceriana e tbém tenho 33 anos, pelos menos até dia 10/07. que coincidencia não é?

Parabens pelo Nuno e que belo post para Caio, fiquei encantada mesmo.

Ah! Te conheci pelo What mommy needs

Beijos

Luciana Marques
http://pedrodelu.blogspot.com

Ananda Etges disse...

Oi Thaís,

Belo post! Fiquei emocionada com as tuas palavras! E estão lindas as fotos dos maninhos!

Beijos para a família!

Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Marina Abdala disse...

Lindo Thaís!
Incrível sua capacidade de transmitir sentimentos pela escrita.
Amo seus posts, suas dicas de livros e suas reflexões então... nos faz refletir também.
Parabéns pela super mãe que é.
Beijo grande.
Marina Abdala.

Ilana disse...

Chorei! Lindo...

Jamile disse...

Nossa, me emocionei com esse texto.que lindo
Vc escreve mto bem...bjos e estou te seguindo.
www.passeioscomcrianças.com
Jamile

Renata disse...

Lindo post.
O Nuno está uma coisa, mas preciso dizer que esse irmão mais velho está cada dia mais lindo!!!
beijos