domingo, 8 de fevereiro de 2009

COISA DE MENINO



Eu não acredito nessa de que certas coisas são para meninos e outras para meninas. Acho que o que vale é o estilo de cada família, as experiências que são proporcionadas de acordo com as vivências cotidianas da criança: se a dança é algo presente em uma família, tanto uma menina como um menino serão incentivados direta ou indiretamente a dançar, já se o futebol for uma paixão dos pais, filhos ou filhas provavelmente se envolverão com a pelota.

Mas não há como negar que certos brinquedos e brincadeiras exercem verdadeiro fascínio em meninos nos quatro cantos do país, quiçá do mundo, e com o Caio não seria diferente: nas últimas semanas o bichinho aprendeu, de uma só tacada, a brincar de bola e de carrinho, pode?

Primeiro foi a bola. Ele já vinha buscando novos usos para uma bolinha de pelúcia que ele tem desde recém-nacido, quando "roubamos" uma bola de borracha da casa dos meus pais - o menino literalmente pirou! Tentava colocar a bola na boca, como a outra, mas não dava, e tudo que ele tentava fazer com a bola, ela escapulia, correndo pelo chão. Aí a brincadeira passou a ser fazer a bola rolar para lá e para cá. Até que a mamãe resolveu participar da brincadeira, e começou a jogar bola com o pequeno. No começo, eu jogava e ele ficava me olhando, pegava a bola, não entendia direito qual era a idéia. Mas bastaram algumas vezes pro safado gostar da brincadeira, e ir aprendendo - do seu jeito - a devolver a bola para mim. E cada vez que ele conseguia, eu comemorava com palmas e elogios. Resultado: além de aprender a associar a palavra BOLA ao objeto, agora ele pega a bola e já sai jogando para mim e, quando dá certo, ele mesmo comemora com palminhas! Fofíssimo.

O carrinho veio depois, há poucos dias. Até então ele não ligava muito para eles, que não serviam para colocar na boca, nem fazer barulho ao chacoalhar, eita brinquedo inútil! Mas aí descobriu - sozinho! - que mexendo com a mão o carrinho no chão ele se movia pra lá e pra cá, pra lá e pra cá. Adorou, claro! Bastava ver um carrinho que ele começava: pra lá e pra cá, pra lá e pra cá. Daí, quando percebeu que podia brincar de carrinho com mais alguém, como já fazia com a bola, foi a glória: jogava o carrinho em nossa direção e, quando acertava, mais comemoração com palminhas. E eu e o pai que nem bobos, rindo a cada movimento do menino, maravilhados!

Coisa linda acompanhar de perto e estimular essas descobertas tão simples, mas tão importantes pros pequenos. Não troco isso por nada.

8 comentários - clique aqui para comentar:

Renata disse...

e como é gostoso fazer parte das pequenas conquistas, né? e melhor ainda é ver papais tão carinhosos como vcs são com o pequeno.
beijo grande, Re

lsbth disse...

Te descobri lá no Astronauta e adorei teu blog... Queria ter a coragem de vocês para parir em casa... Vou aparecer sempre por aqui. Teu bebê é lindo. bjs

Thaís Rosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rebeca disse...

Oi Thaís! O João até que não é muito de bola e carrinho não, mas carro e moto de verdade ele endoida. Faz brum, brum toda vez que vê. Estende o bracinho pras pessoas colocarem ele para dirigir (pessoas completamente estranhas : )no meio da rua. Pra dar uma equilibrada ensino ele a cuidar dos bichinhos de pelúcia, dar suco, dar comida. Ele faz até barulhinho. É fofo.

Como vc não falou nada sobre o lance das fraldas de pano o site é www.fraldabonita.com.br. Vale à pena, eu tô gostando muito.

Um abraço!

Thaís Rosa disse...

oi Rebeca! Falei das fraldas nos comentários do outro post! Valeu pela dica, vou dar uma olhada.
E gostei da idéia de "dar uma equilibrada" com os meninos, vou adotar também!
bjs

Thaís Rosa disse...

Oi Isbth, seja bem vinda! (qual o seu nome?)
bjs
Thaís

Rebeca disse...

As fraldas são da Bettina mesmo. Seu sling é dela? Chegou a testar as fraldas?

Até mais!

João o Astronauta disse...

Existem mais diferenças entre meninos e meninas do que pode imaginar nossa vã filosofia... risos...
quando estavamos de férias, na praia, sempre vinham outros pequenos brincar com a gente, e era incrível como são diferentes os meninos das meninas, elas sempre cuidadosas e com instinto protetor... eles sempre com um pontinho bruto.
beijos