segunda-feira, 13 de julho de 2009

MEMÓRIA DO FUTURO



Caio é um bebê muito carinhoso, mas não é daqueles que ficam beijando e abraçando o tempo todo (eu bem que gostaria... rá!). Mas, ultimamente, ele está todo cheio de denguinhos e carinhos e beijinhos sem ter fim. Daí que hoje, depois de uma sessão de manha misturada com sono e talvez um dentinho pentelho rasgando a gengiva, cedi e dei o mamá, que estava controlando um pouco para ver se ele jantava (já que há 3 dias ele não tem jantado direito, só quer mingau, peito, leite e derivados). Eu cedi, brava, mas a brabeza não durou um segundo. O pequeno grudou no peito, foi relaxando e começou a fazer muito carinho em mim, bem mais do que de costume, no meu rosto, no meu nariz, no meu cabelo, na minha orelha, na minha cintura... me olhava com aquela carinha mais meiga do mundo e me acarinhava, como que dizendo: tá vendo que delícia, mamãe, e você não queria me dar mamá! Fiquei um tempão ali, curtindo aqueles carinhos, me emocionei e comecei a chorar (tá, eu sei que isso não é grande novidade, já falei sobre isso aqui e em outros posts, mas fazia tempo que não acontecia). E, sabe o que me passou pela cabeça nessa hora? Que aquele momento era, sem dúvida, um dos mais preciosos que vivi até hoje. Que eu não queria nunca me esquecer daqueles carinhos tão delicados. Me vi bem velhinha, com os filhos já criados, lembrando e curtindo a saudade desses momentos a sós com o filhote (e sei que vou ter muuuuuita saudade, considerando que tenho desde já...). Então pensei que velhinhos às vezes se esquecem das coisas, muitas vezes das mais importantes. E corri para escrever isso aqui.

(porque daí, mesmo se eu ficar tão velhinha que não consiga nem ler mais, pelo menos alguém vai poder ler para mim, como no filme do Benjamim Button... e eu vou poder lembrar e lembrar e lembrar quantas vezes eu quiser!)

imagem: www.gettyimages.com.br

10 comentários - clique aqui para comentar:

Jaque Macpherson disse...

Antes de voce citar o filme do benjamim button eu estava pensando em "diario de uma paixão" ja viu?

obs: seu Caio é lindo, eu tambem tenho um (Caio).. =D

Flavia disse...

Puts Tha!
Eu sou super manteiga derretida, mas ultimamente to tao mais chorona, cê nem imagina! Ontem de noite, chorei de soluçar vendo Benjamim Button... e agora de manhã me emocionei com teu momento mamá-delicia com teu pequenucho. E chorei mais um pouquinho quando no finalzinho vc citou o filme! Adorei a super conexão!


um beijo grande.

Renata disse...

E é pra chorar mesmo, né? Coisa de canceriana que não resiste a um chorinho. Eu torço pra não esquecer nunca os momentos com o meu filhote, é tudo tão gostoso que eu queria guardar pra sempre!
E eu ainda não vi esse filme...preciso ver com urgência.rs!
beijos, querida

Magaly disse...

Vc sabe que eu não era assim tão fã da amamentação, né? Nos primeiros meses da Catarina, tive que ir encontrando formas de "gostar" de amamentar... hoje, a pequenina já com 9 meses, nem penso em parar!! Quando me perguntam até quando vou amamentar, respondo com a boca cheia que essa será uma decisão tomada entre nós duas. Ponto. A amamentação hoje, pra mim, é um dos maiores prazeres da vida. Obrigada, você, amiga, por, indiretamente (ou nem tanto!), me ensinar a desfrutar dele!

Mãe do Pitoco disse...

Lindo, lindo o post e me emocionei tb, porque Pitos está passando por um momento parecido. Acho que lá vêm os caninos e ele só quer mamar, não quer saber de mais nada. Tá um denguinho só. Chega a grudar no meu pescoço, uma gracinha. E eu pareço que estou mais sensível, ando chorando tb, será que são meus caninos nascendo com os dele? hehehe Só pode... Beijocas em vcs dois, cheio de amor e amizade, viu?

Patrícia Boudakian disse...

que lindo. achei maravilhoso o que escreveu e vou correndo fazer um filho! beijo!

Luíza Diener disse...

e o olhinho aqui cheio de lágrima com saudades do filho que ainda não tenho.

muito lindo seu post!

ps: vai ver é por isso que às vezes os velhinhos esquecem das coisas. pra não ficarem saudosos demais e morrerem de emoção

Paloma disse...

Espere só pelo primeiro "eu te amo". Juro, parece que o coração vai parar. É bom demais da conta. É isso que faz a vida valer a pena: amor, e nada mais. bjos
Paloma e Isa

Thaís Rosa disse...

ai... acho que vou surtar quando o caio falar eu te amo pela primeira vez... aguenta coração!
beijos mulheres, amei os comentários!

Christianne disse...

Não tem coisa melhor do que esse carinho na hora de mamar. João Marcelo ficava alisando o outro peito, meu rosto, minha mão e, ainda por cima, olhando no meu olho. Era maravilhoso! Já tá com saudade? Que tal encomendar outro gostoso desse ou uma gostosa? É um desafio...
Beijão.
Adorei o comentário no Coisa de mãe.