sábado, 9 de maio de 2009

MÃE DE MENINO


Caio anda super grudado comigo. Apelidei-o carinhosamente de carrapatinho. Não pode me ver que já começa a choramingar mamã, mamã, mamã e vem se agarrando na minha perna. Não tem colo de papai ou de vovó que resolva: só quer a mamãe e ponto.

Por um lado, é uma delícia sentir todo esse carinho do pequeno - como disse a Rebeca nos comentários do post anterior, faz um bem danado pro ego da mamãe ver que ele me prefere a qualquer outra pessoa. Mas, por outro, tem horas que a coisa fica meio cansativa, ainda mais levando em conta que estou com um braço só disponível para dar o colinho que ele tanto adora.

O detalhe é que, quando eu não estou, ele fica super bem, vai com todo mundo, fica super alegre, pede as coisas com calma, sem resmungos e choramingos. Agora, bastou a mamãe aqui aparecer que ele fica todo dengoso, cheio de "manha", querendo peito de minuto em minuto e abrindo o maior berreiro se eu levanto do sofá pra ir ao banheiro...

Cheguei a pensar que podia ser carência, afinal ele estava doentinho e eu com o braço engessado e coisa e tal... criança sente tudo no ar, né! Mas desde que me "acidentei" tenho ficado quase o dia todo com ele, brincamos muito, passeamos, conversamos, dormimos juntinhos, ele tem mamado muuuito e à vontade, coisas que fazemos todos os dias, mas nesse período temos feito ainda mais, já que ele não está indo à escolinha e eu tenho ficado mais em casa... Então, acho que carência não é.

Daí, vendo os comentários da Rebeca e da no post anterior, lendo um post da Bibi e conversando com uma amiga que disse que a filhinha fazia muito mais manha com o pai do que com ela, fiquei pensando nessa coisa de ser mãe de menino, nesse apego do filho com a mãe... e vi que a dúvida da Rebeca é também a minha: será que estou criando ele muito dependente de mim? Tem aquele ditado que diz "mãe é manha"... será que a relação mãe-filho dá mais margem pra essa "manha"???

Enfim, tenho pensado nisso esses dias. O caso é que sou das mães mais molonas, que se derretem fácil a qualquer graça-pedido-manha-chororô do filhote, e muita gente tem me dito que se eu não tomar cuidado o pequeno vai me "dominar". Mas eu não consigo enxergar meu bebê como um "pequeno tirano": vejo nessas manifestações de "grude" dele, nessa "manha" comigo uma forma dele se comunicar, de tentar demonstrar sentimentos e desejos através dos recursos de linguagem que ele dispõe no momento... Posso estar errada, mas vou seguindo meus instintos. Quando o grude fica demais, e percebo que é manha mesmo, também me posiciono diferente com ele, para demarcar alguns limites. Mas as questões estão no ar: será que é coisa de menino com a mãe? Será que estou sendo "dominada"? Será apenas uma fase? Dúvidas de uma aprendiz de mãe...


13 comentários - clique aqui para comentar:

Mãe do Pitoco disse...

Meu Pitoco tem 6 meses e está igualzinho. A pediatra dele disse que é a tal da "ansiedade de separação" e que era para eu acostumá-lo com pequenas ausências minhas, como ir ao banheiro (hehehe), ir à cozinha e voltar etc. Mas está cada dia mais difícil, porque ele também anda fazendo isso que o seu faz: maaaaaama o tempo todo só para ficar coladinho comigo, e tb vem acordando mais vezes na madrugada, só sossegando quando eu desisto e trago ele para cama e ele fica colado em mim. Acho que não tem a ver com ser menino, não. Acho que é uma fase dos bebês, em geral, principalmente os que, como o meu, passam o dia todo com a mãe, vendo pouco outras pessoas. Mas tb acredito que a fase passa a medida que eles crescem e vão convivendo mais com outras crianças e adultos. Aos poucos eles vão ganhando autoconfiança e traquejo social e saber que eles podem contar com o aconchego da mãe é reconfortante, e , na minha opinião, deixa-os mais seguros, desde que saibamos não deixar que eles exagerem no grude. Agora quando saber o que é exagero é que é a questão. hehehe Beijos em vcs dois.

Rebeca disse...

Ai meninas...comentem bastante porque tá osso... Com a Thaís falando de ir ao banheiro lembrei da fase que desejei ter uma burca porque não podia passar na frente do João que ele chorava querendo colo (cheguei a colocar uma toalha na cabeça e funcionava,kkkkkk). Mas agora essa fase de chamar mamãe 159 vezes por hora e querer só comer com a mamãe, só trocar a fralda com a mamãe, só dormir com a mamãe (e minha viagem de julho?!?)... Uma amiga minha que tem 3 meninos disse que é assim mesmo, é fase, outra falou que com 2 anos é só papai. E o Édipo?

Por favor, comentem...

Flavia disse...

Thais,

Você lançou a pergunta, e mandou bem na resposta. Eu concordo com você que é a maneira que ele tem de se comunicar e de demostrar o amor dele, o meu filhote é igual e pensando bem... eu também sou um pouco assim, me lembro quando no auge da paixão com o maridão, nos primeiros meses, eu queria estar todo o tempo grudada com ele, kakakaakaka... Te entendo que cansa, e o cansaço muitas vezes faz a gente pensar que talvez todas essas pessoas palpiteiras tenham um pouco de razão... mas no fim das contas minha maneira de criar é assim: sem economizar carinho nem colo, sempre que eu puder. E quando não posso dar colo no momento exato que ele quer, quando por exemplo tenho que ir ao banheiro ou estou cozinhando, explico pra ele que agora não dá, que por favor ele espere um pouquinho e quando a mamãe puder ela pega... na maioria das vezes ele não entende e chora um pouco... mas normalmente o chororo não dura muito, tento dar um substituto pro colo naquele momento (um brinquedo, um video..) e faço o que tenho que fazer...
Acho que no seu caso o Caio está sendo bem esperto e está aproveitando o maximo e da maneira que ele sabe que adora ter você por perto, e se possível bem pertinho...

Feliz dia das mães. um beijo. Flavia

Ps.: Desculpa o comentário tão grande... sempre faço isso... prometo que tento me controlar na proxima vez.

Flavia disse...

Posso comentar aqui pra Rebeca?

hehehehe

Rebeca:
Morro de rir com teus comentários, a ideia da burca e da toalha é hilária... mas te entendo perfeitamente... as vezes é duro.
Penso também como tua amiga que diz que é fase... vai passar... Logo, logo vai chegar o dia que a gente vai querer encher eles de beijos e eles vão falar: Ai, para mãe! Feliz dia das mães.. e faz um blog please... (risos) queremos saber mais do teu J. (né Thais) risos

Bj. desculpa a invasão.

Rebeca disse...

Tomara que ele continue querendo meus beijos até na frente da namorada,kkk.

Confesso que tentei fazer um blog, mas não tive competência. Quem sabe quando eu virar gente grande...

PARABÉNS MENINAS MÃES!!!!

Que Deus abençõe vcs muitão!

ps:a parte mais divertida é que a idéia da toalha na cabeça foi da minha mãe.

disse...

Oi, Thaís.
Acho que é uma fase sim. Logo passa. Agora, o fato de vc ser mãe de menino pesa muito. Freud realmente explica. Ele sempre vai querer demarcar o território.
A Sofia teve uma fase de grude total comigo (qd começou a ir pra escolinha, com mais ou menos 9 meses). Ela só queria mamã, mamã e mamã. Papá nada. Depois que ela se acostumou com a escola, o jogo inverteu. Eu passava o dia todo longe, chegava à noite em casa louca de saudade e ela simplesmente virava a cara, não queria papo comigo. Tipo uma punição, sabe? Depois de um tempo, essa fase passou (tks God!).
Beijos e um feliz dias das Mães (atrasado).

Dani disse...

Thaís: a Nina também começou essa fase de grude comigo e, confesso, to adorando! Fico toda e toda quando ela não quer ir com ninguém, mas só comigo! Como ela começou a fazer isso há umas duas semanas, por enquanto, to achando demais! Vamos ver onde vai dar! Depois te conto! Beijo! Dani

Renata disse...

Tb tenho um pouco de medo de não saber o limite e passar do ponto no grude com o pequeno. O André está nessa fase super mamãe e eu nunca nego, fico com ele no colo, deixo mamar à vontade...tomara que seja só uma fase.
Reparou que eu não tenho como ajudar, né?? To no mesmo dilema, ouvindo palpites de todos os lados me dizendo que eu estou estragando o menino! Ai que medo!
beijinhos, Re

Thaís Rosa disse...

Mulheres, obrigada por compartilharem suuas experiências! Agora a coisa tá bem melhor por aqui, ainda coladinho comigo, mas de uma forma mais bacana, mais curtição, menos chororô.
Re, Dani e Mãe do Pitoco: Caio teve essa fase mais apegada comigo também quando estava com oito, nove meses, foi bem aquele momento que chamam de "crise da separação", quando ele comçou a perceber mais minha ausência... Enfim, fases!
beijocas
thaís

micheliny verunschk disse...

xiii, Thaís! Também apelidei Theo de carrapatinho. Ser mãe de menino é diferente que ser mãe de menina. Pelo menos comigo. Nina sempre foi desencanada, desde bebê. Já ele, vixi!!! Grudadíssimo. Estou aprendendo ainda a lidar com isso. Sorte pra você aí.

beijo!

Rebeca disse...

Quem tá me ajudando muitíssimo com essa fase agora é meu marido. Às vezes quando começa aquela sessão de mamãe ele intervém e fica com o João o tempo que precisar. É ruim ficar ouvindo ele me chamar mas agora até começaram as sessões papai! Vale à pena abrir mão de vez em quando...

Bjos

RL disse...

Thaís,
Tenho exatamente as mesmas dúvidas que você, a diferença é que sou mãe de menina (a Luísa, de 1 ano e 9 meses). E é assim igualzinha. Está tudo bem com outras pessoas e, quando eu chego, pronto, começa a manha. Não larga de mim o tempo todo. Acho que isso pode melhorar um pouco no meio do ano quando eu colocá-la na escolinha, vamos ver. Espero que sim.
Mas o importante é não nos cobrarmos demais, porque senão a gente enlouquece. Eu penso assim: ainda bem que é comigo. Minha amiga me disse que a filha dela é assim com o pai, e ela chega a ter ciúmes algumas vezes e não tem com quem dividir isso.
Bem bacana seu blog. Cheguei nele por acaso e gostei bastante.
Tenho também um blog, se quiser fuçar fique à vontade. O endereço é www.meuprojetinhodevida.blogspot.com
Bjs,
Roberta

Marcia Lima Gomes disse...

Thaís, qual é a idade dele? Gabriel está com nove meses e também está um chicletinho. Estou creditando à ansiedade da separação.