segunda-feira, 14 de maio de 2012

TEMPOS DE NOSTALGIA


Agora há pouco, pra rebater uma gripe, acabei com o último pacotinho de pau de canela que tinha sobrado das vésperas do parto do Nuno. Foi a chave de ouro dos tempos nostálgicos que tenho vivido desde o feriado, quando resolvi arrumar os armários dos meninos para o frio, retirando calças curtas, camisetas com barriga de fora e bodies que, para fechar, ficam com a gola no umbigo (quem nunca?): foi demais para mim pôr em uso, para o Nuno, roupinhas e sapatinhos que, na minha cabeça louca de mãe, o Caio usou até outro dia... 

Somada a essa empreita, uma outra, de produzir fotolivros que comprei numa promoção e deixei para a última hora, me fez passar dias e dias vendo fotos de todos os meses do Nuno, lembrando de cada caretinha, cada novo aprendizado, cada descoberta como mãe de dois. Fiquei nostálgica demais, meio descrente que meu filho já iria completar um ano. Desde então, comecei a me preparar psicologicamente, porque internamente eu não tava aceitando, olha o nível da loucura! Comecei até a pirar pensando como eu vou ficar insuportavelmente nostálgica quando ficar mais velha, com filhos na faculdade e tals... e que tenho que me preparar desde djá! Afe.

Agora, o dia chegou. Amanhã filhote completa um ano (e me dá um alívio pensar que só às dez da noite, rá!) e, desde a hora em que fui colocá-lo para dormir, meus pensamentos são pura nostalgia: as vésperas do parto, o dia do parto, os primeiros meses. E eu que pensava que, como mãe de segunda, não passaria por toda essa nostalgia de novo... Mas a verdade é que, no segundo filho, perdoem-me o clichê, tudo passa rápido demais, e, pra mim, uma canceriana chorona, constatar isso dói um tantinho, e a nostalgia parece que está até maior que da primeira vez... mesmo porque ela vem em dobro, pelo primeiro e pelo segundo filho! Mas, por outro lado, como toda fase é sempre mais deliciosa que a outra, estamos numa curtição só por aqui, entre gargalhadinhas contagiantes, adoráveis conversinhas em bebenês, interações cada vez mais intensas (e tensas, hehe) entre irmãos, muitos carinhos, muitas artes, uma idolatria com o papai e um grude intenso com a mamãe. Mas isso é assunto pra outro post.

Enfim, preciso aprender a lidar melhor com o tempo, mano velho, para poder segurar minhas pontas com as passagens de ciclos. Mas por enquanto, me permito curtir a nostalgia.




***************************
(enquanto escrevia esse post, li esse aqui da Carol, e me senti bem menos doidja. Valeu, querida.)


13 comentários - clique aqui para comentar:

Roteiro Baby Brasilia disse...

Eu vivo numa nostalgia até meio boba desde que a Bruna fez um ano. Eu comemorava cada coisinha que ela fazia... cada passinho, cada palavrinha... agora, cada conquista dela vem acompanhada de uma sensação meio ruim de que ela tá crescendo rápido demais... e eu tenho sofrido muito com isso, talvez porque eu trabalho muito e tenho sempre achado que tenho aproveitado pouco as fases gostosas dela! Ai... que dó!

Sarah disse...

Como assim 1 ano já?? Que fooofo! Parabéns Nuno, que venham muitos anos de alegrias e sapequices! E parabéns pra vc tb Taís!
bjao

Mãe de Duas disse...

Tô com a Sarah: como assim um ano!? Que lindo que ele tá! Parabéns pra ele, pra você, pra família!

Beijos

Lia disse...

Parabéns, Tha! É verdade, o segundo passa mais rápido.
E aqui, menina, que estou passando as roupas da Emília DI-RE-TO pra Margarida???
Terceirinho feelings...

Dani Garbellini disse...

Thais, querida! Que saudade!
Li o post no dia que publicou, mas não pude comentar na hora e nem ver as fotos (estava num local que restringe as coisas, sabe?)
Gente, que belezura o Nuno! Não sei se piro mais na foto de RN ou na de agora.
Sobre a nostalgia, putz, nem estou conseguindo falar do assunto, que grávida chora demais, sabe como é... rs
Parabéns para o Nuno, papai, mamãe e irmão mais velho.
Ah! Claro que você não tinha se ligado que Nuno fazia aniversário um dia antes do Arthur, ano passado ele estava nascendo!!!
Querida, um grande beijo e vê se cumpre sua promessa. Humft!
(E um dia tira esse verificador, juro que não sou robô, mas é tão chato. Eu tirei faz tempo e o verificador de spam do bloger costuma dar conta. hahaha)
Beijão!

Ivana Luckesi disse...

Tha, como lhe entendo! Senti exatamente isso quando JOão, meu caçula, completou 1 ano. E, no auge da minha loucura, cheguei a pensar: puxa, não terei mais filhos, o que vou fazer da minha vida?? Vou vê-los crescer de forma assustadora e depois observá-los trilhando seus próprios caminhos.

É muito preparo psicológico pela frente. Afe!

bjo em você e no LINDO aniversariante!

A Festa Mais Divertida! disse...

Olá, meninas! Estou aqui para divulgar o meu blog de decoração para festas infantis. Faço desde docinhos até a decoração personalizada, tudo para sua festa ficar ainda mais especial! Beijos
http://afestamaisdivertida.blogspot.com.br/

Marusia disse...

Oi, Thaís,
falei exatamente sobre isso no post "Onde está meu bebê?"
http://maeperfeita.wordpress.com/2012/04/22/onde-esta-meu-bebe/

Incrível como a gente se identifica!
Beijos,
Marusia

Juliana Palma disse...

Que legal o blog! Vi através da reportagem da veja sp! Tbm tenho um blog onde falo sobre a vida de mãe e beleza! Muito legal ver outros blogs assim!!!

Bjos
Juliana
demeninaamae.blogspot.com

Roberta Leal Pimentel disse...

Thaís, parabéns pelo seu blog e fiquei admirada de ver sua maturidade ao refletir sobre o momento do parabéns com seu filho...hj eu publiquei no meu blog sobre a importância de nós, mães e pais, olharmos mais para nós...esse seu post é um exemplo disso, parabéns...qdo puder leia o post que acabei de citar:
http://www.robertapimentel.com.br/2012/06/05/relatos-da-minha-propria-vivencia-a-necessidade-da-autoavaliacao-do-olhar-para-mim-mesma/
Se achar que vale a pena, ajude a divulgar meu blog...
Abraços, Roberta e, mais uma vez, parabéns, seu blog é nota 10!!!!

micheliny verunschk disse...

Querida, o Pacha Mama voltou, um tanto diferente, mas voltou. Passa lá depois. Um beijo!

Ananda Etges disse...

Venho aqui quase 1 mês depois do aniversário, mas não podia deixar de comentar. Faço coro com as meninas: jááá???? Minha nossa! Que medo do tempo... quando temos filhos que percebemos o quanto ele voa!

Beijos, Ananda.

Fabíola Lopes disse...

A gente vai ter nostalgia sempre...O meu está com 6 anos e eu tento fazer o tempo parar para continuar curtindo cada momento único...Falei disso outro dia no meu blog, quando ele ficou doente e falou "A mamãe é meu remédio"...Não é para dormir o resto da vida feliz?
Parabéns pelo blog,adorei, vou voltar com certeza!
Um abraço,
Fabíola
http://asomadetodosafetos.blogspot.com.br/2012/06/todo-amor-que-houver-nessa-vida.html